O que tem de interessante em você?

Se alguém perguntar o que tem de interessante em você, é bem provável que a sua resposta seja um apanhado de tudo o que você acha que os outros pensam a seu respeito. Durante a maior parte das nossas vidas, nós nos acostumamos com a sensação de existir para os outros, sendo para eles, vivendo o nosso cotidiano na expectativa de agradar, de não decepcionar, de conquistar empatia.

Cada pessoa tem sua forma de ver o mundo e também uma maneira própria de enxergar as suas limitações e qualidades. Mas quando nosso olhar é preenchido quase que em sua totalidade pelo desejo de conquistar a atenção alheia, nós nos enfraquecemos como seres humanos, como pessoas que não são simplesmente um objeto feito em série, justamente porque possuímos particularidades, falhas e belezas que não podem ser tiradas de nós.

Olhe para si buscando o que há de interessante na pessoa que você é. Nem todos vão ver as mesmas coisas, mas você —especialmente você! — precisa saber o que existe de bom para ser percebido. O olhar dos outros, nesse caso, não é o mais importante.

Pintura de Martin Honasan